Mulheres e amor romance

Amor e Romance NitroPoint2. NitroPoint2 Bem vindo todo mundo Permitido só mulher Quero criar grupo com poucos pessoas max 50 Homem pode entrar mas tem de chamar o admin no PV Regras- Sem treta Só brasileiro e português Sem pornografia Sem spam Obrigatório foto e nome verdadeiro Fake. Entrar no Grupo Em comum em todos os filmes dessa lista está o amor maduro, de mulheres casadas ou separadas, despido dos delírios românticos da juventude, mas tão belo e tocante quanto. Esse é um amor que acontece na vida enquanto andamos por ela, muitas vezes ligeiramente distraídos. Como cada um de nós lida com ele? Isso depende de tudo que somos. O amor não escolhe seu paradeiro, ele só escolhe ser. Mulher para encontros Brasil No Romance Amor você irá encontrar o amor da sua vida, criar novos amigos ou ter um romance. Tem acesso imediato a milhares de pessoas com foto, entrar em chat e utilizar o batepapo privado. Subscrição Gratuíta! Romance e Amor é um espaço de relacionamentos que lhe oferece a possibilidade de fazer novos amigos e amigas, encontrar o seu par ideal, marcar ... 6 romances que refletem sobre o amor entre mulheres ... Carmen L. Oliveira O livro narra o romance entre a poeta norte-americana Elizabeth Bishop e a paisagista e urbanista brasileira Lota de ... 8/ago/2020 - Explore a pasta 'Livros em pdf romance' de Taynara Freitas De Souza no Pinterest. Veja mais ideias sobre Livros em pdf romance, Livros em pdf, Romance. O romance é contado na perspectiva de Élio, que se apaixona pelo estudante e pupilo de seu pai quando ele é convidado para passar algumas semanas em sua casa. O amor entre os dois passará pelos estágios de admiração, atração, apreço e finalmente, carinho e seguimos todas essas nuances através do psicológico de Élio. 5/jun/2020 - Explore a pasta 'amor e sedução' de Alice Alves Cabral, seguida por 200 pessoas no Pinterest. Veja mais ideias sobre Sedução, Amor, Video romanticos. Um dos maiores problemas com filmes LGBT é que muitos deles – e em geral os que ganham destaque na mídia – são grandes tragédias, dessas que fazem a gente perder a fé na humanidade (*cof cof* Brokeback Mountain).Isso é muito nocivo, principalmente pra quem ainda está descobrindo a sexualidade. Por isso trouxe uma lista de filmes sobre amor entre mulheres que são todos leves ... A direção é do brasileiro Bruno Barreto que, na época de lançamento da obra, declarou ao portal G1 que o fato de a obra ter um romance entre mulheres dificultou o patrocínio. Imagine eu e ... O gênero de romance é sem dúvida um dos mais frequentes nos doramas. As histórias cativantes, fofas e engraçadas divertem e conquistam telespectadores de qualquer nacionalidade. Para esta lista, separamos os melhores doramas românticos que aquecerão o seu coração. 1. Love 020 (2016) País: China Número de episódios: 30

Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias

2020.09.04 05:42 SpeedHS11 Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias

Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias (editora PandorgA) 
https://preview.redd.it/216yppdxq1l51.jpg?width=566&format=pjpg&auto=webp&s=e5378e193d4acd6aab19abf302c57accc2e82527
Este livro contém 4 contos:
- o gato preto (1843)
- Ligeia (1838)
- a queda da Casa de Usher (1839)
- pequena conversa com a múmia (1839)

O Gato Preto (1843) 
''NÃO ESPERO NEM PEÇO que acreditem neste relato estranho, porém simples, que estou prester a escrever. Louco seria se eu o esperasse, em um caso onde meus próprios sentidos rejeitam o que eles mesmos testemunham.''
Faço das palavras de Poe as minhas, o conto começa com Poe falando de sua paixão por animais, e que sempre foi mimado pelos pais em relação à isso, o conto carrega toda uma história por trás, a começar pelo nome Plutão, que é o apelido de Hades (deus dos mortos), a cor preta, a superstição de que gatos pretos seriam bruxas disfarçadas e também a ideia de sete vidas dos gatos, todas essas características se encaixam perfeitamente no enredo do conto.
Com o passar do tempo, Poe foi mudando para uma pessoa pior, graças ao alcoolismo, se tornando mais melancólico, irritável, e indiferente às todos ao seu redor, menos ao gato, porém isso não durou muito tempo e o gato agora também passara a sofrer assim como todos os outros com as atitudes de Poe.
Quando Poe voltava para casa após mais uma noite de puro alcoolismo, percebeu que Plutão evitava-o, percebendo isso tratou de agarrar o gato, porém, o gato ficou assustado (com razão) e acabou dando uma pequena mordida em sua mão, isso despertou uma fúria (como o próprio Poe diz, demoníaca) e ele acaba por arrancar o olho do gato com um canivete que estava em seu bolso.
''de fazer o mal pelo único desejo de fazer o mal'' E foi assim que Poe fez o que ele julgava errado mas fez. Em uma manhã fria ele enforcou e matou o gato, no galho de uma árvore enquanto lágrimas escorriam de seus olhos, segundo as próprias palavras de Poe: ''enforquei-o porque sabia que assim fazendo estava cometendo um pecado - um pecado mortal, que comprometeria então minha alma importal e a colocaria - se tal coisa fosse possível - além do alcance da infinita misericórdia do Deus mais misericordioso e mais terrível.'' A noite do mesmo dia terminou com a casa de Poe em chamas, a cortina de seu quarto pegou fogo e por pouco conseguiram sair todos vivos e a casa acabou completamente destruída.
No dia seguinte ao incêndio, quando Poe visita as ruínas do que sobrou de sua casa, todas as paredes com exceção de uma tinham desabado e justo nessa única parede que não havia sido destruída completamente, estavam as palavras ''estranho!'', ''singular!'' e outras expressões similares, que despertaram a curiosidade de Poe, porém, o que mais o intrigava era o fato de que nessa mesma parede havia a figura de um gato de um gato gigantesco e havia uma corda ao redor do pescoço do anomal, Poe criou uma grande explicação para o ocorrido e se deu por satisfeito, embora dessa forma tenha prontamente satisfeito a razão, ele não poderia dizer o mesmo quanto à sua consciência.
Sem mais nem menos, surge um gato preto extremamente parecido com Plutão, no meio da noite em mais um dia de bebidas de Poe, os dois acabam gostando um do outro e assim, o gato segue para a casa de Poe e logo se familiariza com a casa e a esposa. Aos poucos por alguma razão Poe começou a sentir uma aversão ao gato, o fato do animal não ter um olho e a marca no peito do gato que antes era indefinida, mas agora essa marca branca passa a ser a imagem do enforcamento, contribuiram para essa aversão.
Certo dia enquanto ia para o seu porão, o gato mais uma vez o seguia e acompanhava-o, desta vez o gato acompanhava Poe enquanto descia as escadas e quando o fazendo cair, isso despertou uma fúria demoníaca em Poe, que na mesma hora pegou seu machado, quando estava pronto para matar o animal sua mulher interviu, desviando o golpe, sem pensar Poe enfiou o machado na cabeça de sua mulher, ela caiu morta sem sequer gemer.
Poe agora precisava se livrar do corpo, pensou e chegou na conclusão que deveria emparedá-la no porão, o que ele fez foi retirar os tijolos de um ponto da parede que havia uma saliência de uma falsa chaminé e fez no final das contas um ótimo trabalho.
O gato obviamente assustado com a situação fugiu e nunca mais voltou, isso despertou uma sensação de alívio em Poe, ele se sentia um homem livre, a sua consciência em relação sua mulher, pertubava- o pouco. No dia seguinte policiais foram até a casa fazer uma última busca e quando já estavam prestes a ir embora, Poe cita o quanto aquele porão fora bem construído e acaba por bater na parede com a bengala que segurava, na qual estava o cadáver de sua mulher do coração.
O eco da batida nem tinha acabado de soar quando uma voz de dentro respondeu com um uivo, como se tivesse vindo do inferno, com isso Poe quase desmaia até a parede do lado oposto, o cadáver ''com a boca vermelha escancarada e o olho solitário de fogo, estava sentada a criatura hedionda cujos ardis tinham me seduzido ao assassinato, e cuja voz delatora havia me condenado à forca. Eu tinha emparedado o monstro dentro da tumba!''
Ligeia (1838) 
O conto começa com Poe lembrando-se de Ligeia, fazendo grandes elogios e lembrando-se apenas que a encontrou pela primeira vez em alguma grande e decadente cidade às margens do Reno. Poe não se lembra do nome de sua família.
''Não existe beleza rara sem que haja algo de estranho em suas proporções''. Poe segue exaltando Ligeia: Alta, porte majestono, a quietude complacente de seu comportamento... A pele rivalizava com o mais puro marfim, a imponente fronte sobressaindo e a delicada proeminência acima de suas têmporas, as brilhantes e negras madeixas, negras como as asas de um corvo, luxuriantes cachos naturais, suas linhas delicadas do nariz, as covinhas, os olhos bem maiores do que o comum, a magnífica curvatura do lábio superior e o aspecto suave e voluptuoso do inferior. Ele se lembra de seus olhos, incríveis e incomuns, largos e luminosos, e sentiu fortes sentimentos ao lembrar de seus olhos, que só sentiu os mesmos sentimentos raramente quando: viu o crescimento de uma videira, numa mariposa, uma borboleta, um fluxo de água corrente...
Poe lembra dos primeiros anos de casamento, em que ele confiava em Ligeia em nível de confiança semelhante à de uma criança, a ser guiada por ela, em um caótico de investigação metafísica em que se achava ocupado durante os primeiros anos de casamento. Enquanto Poe acompanhava de perto a morte de Ligeia na cama, ela demonstra todo a sua paixão e pede a Poe que leia alguns de seus versos, logo após Poe terminar a leitura, Ligeia ergueu-se e teve espasmos, e então, abaixou os braços retornando ao leito de morte e morreu.
Meses depois do ocorrido, Poe, compra uma abadia em um lugar remoto da Inglaterra se casa com Lady Rowena, no primeiro mês de casamento ela temia o violento mau-humor de Poe seu temperadomento, que tanto evitava e amava. No segundo mês de casamento Lady Rowena fica doente e demora para se recuperar até que um segundo e mais violento acesso a acometeu, colocando-a de volta à cama em sofrimento, ela começa a ficar doente de forma mais grave e reccorente, Poe então decide dar uma taça de vinho para recuperá-la, foi aí então que ele ouviu passos leves sobre o carpete próximo a cama, e então quando Rowena estava prestes a bebero cálice, ele viu caindo dentro da taça, três ou quatro grande gotas de um brilhante líquido, porém ele achou que fosse tudo imaginação e não mencionou o fato à ela, algum tempo depois ela morre e seu corpo é preparado para o túmulo.
Com o tempo, Poe percebe que suas bochechas voltam a ficarem vermelhas, durante alguns dias ele escuta alguns sons do cadáver e havia até mesmo uma leve pulsação de seu coração, ela estava viva, porém, sempre indo e voltando da morte, com grandes sinais à prova, mas Poe não se importava e estava cansado das violentas emoções.
De repente, ela ergue-se da cama, cambaleando de olhos fechados avanã para o meio do quarto, Poe se aproxima e toca, fazendo assim cair os tecidos sinistros que a enrolavam, revelando assim seus cabelos negros, mais negros que as asas de um corvo da meia-noite e os grandes olhos, grandes, negros e selvagens de seu perdido amor, Lady Ligeia.
A queda da Casa de Usher (1839) 
Poe percorri de cavalo um caminho escuro, chegando à casa de Usher (sua caraterística principal era parecer excessivamente antiga) ele sente uma sensação de insuportável melancolia invadir seu espírito, ele chega até a sala grande e imponente em que Usher (um dos únicos amigos de infãncia e adolescência de Poe) estava, Usher então se levanta do sofá e o comprimenta calorosamente. Com sua voz que variava rapidamente de um indecisão trêmula até uma forma pesada e lenta de falar, ele contou sobre o objetivo da visita e do consolo que ele esperava sentir com a presença de Poe e abordou a causa de sua doença, disse que era um mal constitucional e familiar para o qual ele já não tinha esoerança de encontrar uma cura.
Ele sofria de um aguçamento mórbido dos sentidos: só suportava as comidas mais insípidas, só podia uisar vestes de certa textura, o cheiro de todas as flores o oprimia, uma mera luz fraca torturava seus olhos e somente alguns sons não lhe inspiravam horror. Poe percebe pouco a pouco por meio de alusões entrecortadas e ambíguas, ele estava dominado por certas impressões supersticiosas com relação ao imóvel onde vivia e de onde, por muitos anos, nunca havia se aventurado a sair, superstições acerca de uma influência cuja força hipotética foi descrita em termos muito obscuros para ser relatada aqui e a aproximação evidente e iminente da morte de sua querida e amada irmã, lady Madeline.
Lady Madeline tinha uma apatia, uma devastação física lenta e gradual, e frequentes afecções de um caráter parcialmente cataléptico. Até então, lutara com firmeza contra a doença e não se entregara à cama, mas, ao final da noite, ela sucumbiu e Poe nunca mais a veria a mesma dama pelo menos enquanto vivesse.
Usher declarou que tinha a intenção de preservar o corpo da irmã por quinze dias (antes de finalmente sepultá-la), em uma das várias câmara que existiam dentro dos muro principais da casa, a razão era o caráter incomum da morte da falecida e as inevitáveis perguntas inoportunas e impulsivas por parte dos médicos, Poe ajuda pessoalmente nos preparativos do sepultamento temporário, levam ao à uma câmara que estivera fechada por muito tempo e lá é revelado que Usher e sua irmã eram gêmeos.
Uma noite tempestuosa, ma terrivelmente bela invadiu o quarto quase erguendo-os do chão, um vapor agitado subia pela casa e a encobria como uma mortalha, Poe logo retirou Usher de perto da janelo e colocou-o na poltrona, lendo um de seus romances favoritos: ''O Louco Triste'' de Sir Launcelot Canning.
Ao terminar a leitura, em que um escuto havia caído sobre um piso de prata, Poe, como escuta como se relamente um escudo de bronze tivesse caído com todo seu peso sobre um pavimento de prata. Quando Usher é questionado por Poe sobre o barulho, Usher: ''Sim, eu ouço e tenho ouvido. Por muito... muito... muito tempo... por muitos minutos, muitas horas, muitdos dias ouvi... Nós a colocamos viva no túmulo! INSENSATO! ESTOU LHE DIZENDO QUE ELA AGORA ESTÁ DO OUTRO LADO DA PORTA!''
Como em um passe de mágica, a porta para que Usher apotava abriu lentamente, e lá estava a figura alta e amortalhada de lady Madeline Usher. Então, com um lamento baixo, desabou pesadamente sobre o corpo do irmão, e em sua agonia final, arrastou-o para o chão, morto, vítima dos terrores que havia previsto.
Poe então foge horrorizado daquele quarto e daquela mansão, de repente, uma luz forte surgiu no caminho, era a luz da lua cheia, um vermelho escalarte que brilhava através daquela rachadura na mansão e que se estendia até do telhado até o chão. Dali veio um sopro forte do redemoinho, as grandes paredes desabavam enquanto se ouvia uma demorada e tumultuada gritaria, como se o ruído viesse de mil aguaceiros, e o lago profundo e gélico aos seus pés se fecharam, de forma sombria e silenciosa, sobre os destroços da ''Casa de Usher''.
Pequena Conversa Com a Múmia (1839) 
O simpósio (festa após um banquete) da noite anterior tinha sido demais para Poe, com uma dor de cabeça miserável e caindo de sono preferiu fazer uma última refeição antes de dormir (Welsh rabbit). Porém, ainda não completara o terceiro ronco quando a camapinha começa a tocar furiosiamente, era um bilhete do doutor Pononner, que dizia que obteve o consentimento dos direitos do museu da cidade para examinar uma Múmia, em um salto se levantou da cama rumo à casa do doutor.
Chegando na casa do doutor ele encontrara um grupo ansioso e a Múmia, encontrada às margens do Nilo, estendida sobre a mesa de jantar, acâmara onde fora encontrada a Múmia era rica em ilustrações, isso indicava uma vasta riqueza do morto. Encontraram o corpo em ótimo estado de preservação, sem nenhum odor perceptível, cor avermelhada, olhos removidos e substituídos por olhos de vidro, cabelos e dentes em boas condições. Quando perceberam que já passava de duas horas da manhã, decidiram adiar a dissecação até a noite seguinte, porém, alguém surgiu com a ideia de fazer um experimento com a pilha de Volta (aplicar eletricidade).
Prestes a ir embora, Poe se depara com as pálpebras da Múmia coberta pelas pálpebras, depois do choque inicial decidiram prosseguir com um novo experimento, e, durante o mesmo, a Múmia desfere um pontapé no doutor Ponnonner que foi lançado à rua janela abaixo. Depois de iniciarem o teste elétrico a Múmia espirrou, sentou e se dirigiu aos senhores Gliddon e Buckingham com um egípcio perfeito um discurso, neste discurso ele reclamou de ser despido num dia frio e da forma como fora tratado.
Gliddon fez um discurso em que citava principalment os enormes benefícios que a ciência podera obter com o desenrolamento e a evisceração das múmias e aproveitou o momento para se desculpar por qualquer incômodo que pudéssemos ter causado à múmia Allamistakeo, reparando que ela estava se tremendo de frio, o doutor correu e logo voltou com uma casaca preta, um par de calças xadrez azul-celeste, uma camisa xadrezinha cor de rosa, um colete de brocado com abas, um sobretudo branco, uma bengala de passeio, um chapéu sem aba, um par de botas de verniz, um par de luvas de pelica cor de palha, um monóculo, um par de suíças e uma gravata cascata.
Seguiu-se uma série de perguntas e de cálculos pelos quais se tornou evidente que a antiguidade da múmia tinha sido muito mal avaliada, haviam passado cinco mil e cinquenta anos e alguns meses desde que ela tinha sido despachada. Logo depois a múmia explica o princípio fundamental do embalsamento e que gozava de ter o privilégio de ter nas veias sangue do Escaravelho, pois só assim teria o direito em sua época de ser embalsamado vivo. O Escaravelho era o brasão, as ''armas'' de uma família muito nobre e muito distinta, pois era comum se retirar o cérebro e as vísceras do cadáver antes de embalsamá'lo, só o clá dos Escaravelhos não seguia essa regra.
''Veja nossa arquitetura!'' gritava Ponnonner. ''A Fonte Bowling-Green!Ou, se esse espetáculo e imponente demais, contemple por um instante o Capitólio, em Washington, D. C.! E o bom doutorzinho chegou até a detalhar de forma minuciosa as proporções do edifício a que se referia. Explicou que o pórtico era adornado com não menos que vinte e quatro colunas, cada uma com um metro e meio de diâmetro e colocadas a três metros de distância umas das outras.
O conde respondeu que lamentava não se lembrar das dimensões precisas de nenhum dos edifícios principais da cidade de Aznac, cuja fundação se perdia na noite dos séculos, mas cujas ruínas permaneciam ainda de pé, se lembrou de ter visto um palácio secundário que tinha cento e quarenta e quatro colunas, com onze metros de circunferência e sete metros de distância entre cada uma delas, o acessoa esse pórtiro, vindo do Nilo, era feito através de uma avenida de três quilômetros, composta por esfinges, estátuas e obeliscos de seis, dezoito e trinta metros de altura. O palácio em si tinha, só em uma das direções três quilômetros de comprimento e deveria ter, ao todo, uns onze de circuito. As paredes eram ricamente decoradas, por dentro e por fora, com pinturas hieroglíficas. Ele não pretendia afirmar que até cinquenta ou sessenta dos Capitólios do doutor poderiam ter sido construídos dentro dessas paredes, mas que tinmha absoluta certeza de que duas ou três centenas deles se espremeriam ali com alguma dificuldade.
Nisso se seguiu a noite com os cavalheiros fazendo perguntas complexas ao egípcio, que respondia todas surpreendentemente bem, os cavalheiros não sabiam mais que perguntas fazerem, pois, a cada pergunta que faziam, o egípcio respondia todas e simplesmente os calava com sua superioridade egípcia em basicamente todas as áreas mencionadas pelos cavalheiros ali presente.
Porém, quando estavam prestes a serem derrotados intelectualmente, Ponnonner perguntou se as pessoas no Egito realmente pretendiam rivalizar com as pessoas modernas, na importantíssima questão do vestuário. O conde então olhou para os suspensórios de suas calças e, segurando a ponta de seu fraque, segurou-os perto dos olhos por alguns minutos. Deixando-os cair finalmente, sua boca escancarou-se gradualmente de uma orelha à outra, mas não me lembro se respondeu alguma coisa.
O egípcio baixou a cabeça. Nunca houve um triunfo tão completo, nunca antes a derrota foi assumida com tanto despeito, Poe pega seu chapéu e parte para casa. Chegou em casa depois das quatro horas da manhã e foi-se deitar, agora eram dez horas da manhã com Poe escrevendo estas lembranças, ansioso para saber quem será o Presidente em 2045, iria procurar o doutor Ponnonner e pedir para que seja embalsamado por alguns séculos.
submitted by SpeedHS11 to Livros [link] [comments]


2020.09.03 20:16 OrbitingMoon Minha visão de mundo sempre foi meio distorcida

Quando moleque eu era meio bagunceiro, fazia muita merda, às vezes puxava briga, mas não sabia me defender depois, mas mesmo assim eu tinha alguns amigos. Quando eu entrei na quarta série eu tinha engordado um pouco, e na minha sala tinha um repetente. Nossa relação inicialmente foi bem normal, mas eventualmente começamos a nos dar mal e ele começou a me bullynar. Da quarta até a oitava série, quase que todo dia, eu tinha que lidar com isso (escola pequena, só tinha uma turma por série), eu era muito triste na época; matava aula sempre que podia, porque lá tudo que me esperava era zoação e eventuais brigas (que eu sempre perdia). Eventualmente todo mundo cresceu e parou de fazer isso, e o bullying acabou.
Mas não foram só flores depois daquilo, é óbvio que aquilo fudeu comigo, durante aqueles anos eu tentei suicídio no mínimo umas duas vezes, e toda noite antes de dormir eu desejava que ou eu ou ele morressemos, porque eu não aguentava mais. Quando acabou, eu tinha uns 14 anos, estava no nono ano, nunca havia tido uma amiga mulher, nunca dormi na casa de um amigo, não sabia fazer amizades, não sabia sorrir, era tímido, não sabia conversar, não tinha nenhum amigo de fora da escola, e mesmo dentro dela, só tinha dois ou três amigos de infância. Eu basicamente ainda era tão socialmente desenvolvido quanto uma criança de 10 anos (talvez até menos).
Enfim, eu não ligava pra isso, eu podia fazer amizades virtuais, certo? Sim, e eu fiz alguns bons amigos, mas eventualmente eu perdia todos eles porque eu não tinha escrúpulos e falava demais, coisas pessoais, íntimas, enfim. Eu não sabia manter amizades, eu era "estranho" demais pra isso. Mas um cara, ainda assim, me suportava, ele era bastante compreensivo e me aturava, incentivava-me a estudar, conversar com meninas ou outras pessoas, mas eu não levava ele tão a sério, até que eu entrei no ensino médio. De repente eu percebi o quão inútil eu era, e como eu não sabia de nada que deveria ser senso comum (eu, com 15 anos, não sabia nem o que significava ficar com uma menina).
Eu pedi muitos e muitos conselhos para aquele meu amigo, e ele me ajudou bastante, eu fiz minha primeira amiga mulher graças a ele! Mas eu ainda era muito estranho, então com o tempo perdi tanto a amizade dele quanto a dela. Eu era bastante triste na época, tinha muitas inseguranças, mas ainda assim me esforçava o máximo que podia para fazer amigos. Foi, também, nessa época que eu fiz minha primeira melhor amiga, eu amava ela demais, uma vez brigamos e ficamos alguns meses afastados, fiquei deprimidíssimo por um tempo, considerei suicídio porque não tinha mais ninguém. Mas uma hora eu acabei melhorando e me tornei capaz de ser mais normal, conseguia conversar numa boa, já tinha alguns amigos, fazia novas amizades e tudo mais.
Ainda assim eu ainda tinha uma visão bastante distorcida do gênero feminino, ainda não tinha experiência nenhuma com nada remotamente sexual, inclusive, participava de fóruns de incels, acreditava fielmente na blackpill (tua aparência determina teu sucesso na vida), e mais um monte de besteiras que eu lia nos fóruns. Um dia, porém, uma menina chegou em mim (eu nunca havia visto ela na vida), e pediu pra ficar comigo, eu logicamente aceitei, estava desesperado por uma companheira e por ter essas experiências "normais" que todo jovem tinha. Ela me deu seu número de telefone e ficamos conversando pelas próximas semanas, e que semanas...
Aquela mulher acabou de verdade comigo, só reforçou as visões que eu tinha do gênero feminino que eu via na internet. Ela foi a pior mulher que eu poderia ter encontrado para ser com quem eu teria minhas primeiras experiências envolvendo pegação e afins. Ela era uma pessoa horrível, dizia ter nojo de velhos, falava muita merda pra mim, era burra, mas muito muito muito burra, já tinha 20 anos e não tinha nem terminado o fundamental. Ainda assim, eu não tinha mais ninguém na época, e embora eu não gostasse dela, ainda assim queria experienciar o que era a pegação, então quando começamos a trocar nudes, ignorando como ela abaixou minha autoestima na época porque eu não era superdotado como ela queria, eu sentia uma sensação de poder porque ela me mandava fotos dela sempre que eu queria, eu atribuia isso à minha aparência (sou bonitinho, e segundo os fóruns, era só disso que alguém precisa para ter sucesso na vida).
Eventualmente, meio enojado com ela, decidi que não queria mais ela na minha vida, e cortei contato, voltando a estar sozinho. O engraçado é que aquilo me "traumatizou", e eu me recusei a ficar com alguém depois daquilo, inclusive uma menina que era minha vizinha (pensando agora, se ela tivesse sido a primeira pessoa com quem eu fiquei, eu nunca teria passado por esse monte de merda). Eventualmente eu fiz alguns amigos (homens) e fui pra algumas festinhas pela primeira vez, foi bem bacana, passei mal na primeira vez bêbado), mas eu ainda não queria me envolver com mulheres por medo daquilo se repetir.
Com o tempo eu deixei a visão incel que eu tinha do mundo e da mulheres de lado, mas ainda assim eu tinha uma visão distorcida da vida real. Esse ano eu conheci uma menina pela internet, e ela vem me ajudando bastante com isso, ela é bem bacana, e vem me ajudando a superar o medo que eu tinha de tudo isso. Claro, ela, de certa forma, me decepcionou bastante, foi bem deprimente quando eu percebi que eu não vivo num filme de amor adolescente, sabe? Eu acreditava que encontraria uma menina inexperiente como eu, então namoraríamos e aprenderíamos tudo juntos, seríamos felizes para sempre! Embora ela more perto de mim, ainda é longinho então nunca nos vimos pessoalmente, então embora eu ainda seja bobão quando o assunto é pegação, pelo menos agora, graças a ela, estou disposto a mudar.
Inicialmente eu tinha um crushzinho por ela, porque ela parecia ser o modelo de menina perfeitinha que eu tanto desejava, mas ela é humana, assim como eu, tem defeitos, temos diferenças, e eu fico feliz por ter percebido isso. Eu, ainda não entendo direito como eu cheguei nessa conclusão, mas eu tinha a visão de que toda menina busca um romance enquanto todo cara só quer pegação, e foi um puta choque de realidade quando eu percebi que não era assim, até a menina que era super babaca comigo queria um namorado, ela não quer????
Finalizando, peço desculpas se a coesão do texto tenha ficado ruim (sempre foi meu ponto fraco na escrita de textos) ou se eu omiti algum detalhe importante sem querer. Foi um tempão, fiquei muito tempo vivendo de ilusão, achando que o mundo fosse como um conto de fadas, mas é bom poder saber que agora, depois de tudo isso, eu já não sou o moleque esquisito que eu era há alguns anos. Obrigado se você leu até aqui :)
submitted by OrbitingMoon to desabafos [link] [comments]


2020.08.05 16:01 LiviLuthorDanvers Ex namorada abusiva ainda se acha o amor da minha vida

Ok, pensei muito antes de mandar isso aqui, mas uma história dessa não deve ser desperdiçada. Então, por favor façam essa história chegar no Luba, pelo amor de Rao
Bora lá. Olá, Luba, editores, gatas, falecidos papelões, possível convidado and turma que está a lever.
Contexto da história: minha ex terminou comigo de uma forma muito escrota, descobri que ela ja estava noiva de outra garota, ela me disse que eu era doente por amar tanto ela e que eu precisava me tratar. Tinha bloqueado ela meses atrás, mas vieram me falar que ela precisava falar algo muito importante comigo, então eu desbloqueei ela. Agora bora pra história, irei transcrever a conversa aqui.
Ela- **** Preciso conversar com você. Ai mas como está?
Eu- Bem e vc? Sobre o que quer falar?
Ela- Muito mal. Mas acho que isso não ti interessa
Eu- Vdd, não me interessa. Então... O que quer falar?
(Duas horas depois)
Não tenho tempo pra mistério. Não quero ser grossa, mas vc sabe o que fez, o que falou, então não vamos fingir que somos amigas, certo?
Ela- Não ti preocurei pra brigar. Comigo ficaram guardadas momentos lindos do nosso romance. Serio, não imaginei que depois de tanto tempo você voltaria me tratar com cinco pedras na mão. Bom dia!
Eu- Olha... eu não vou nem comentar. O que vc queria falar?
(Três horas depois)
Olha, eu vou dormir. Quando eu acordar espero que vc tenha dito o que vc quer tanto falar comigo. Como ja disse antes, não tenho tempo pra mistério.
Ela- Olha meu amor. Não fale desse jeito comigo okay? Do jeito como me trata, me deixa sem forças pra falar o porquê ti procurei. É uma pena ter gastado o seu tempo a toa Tenha um bom dia. E esqueçe o que ia falar. O seu clima comigo não ajuda.
Eu- Só fala o que vc quer tanto falar.
Ela- A gente se fala quando estiver disposta em conversar comigo.
Eu- Só fala logo. Para de rodeio. Quanto mais mistério vc faz, mais irritada e sem paciência eu fico.
Ela- Você ainda está magoada comigo?
Eu- Sim.
Ela- Gostaria que me perdoasse. De todo o coração. Com toda a sinceridade 😔
Eu- Era sobre isso que vc queria falar comigo?
Ela- É o começo pra poder dizer o que tenho a falar. Mas é importante a sua resposta.
Eu- Certo... Vc tem o meu perdão, pq não quero ficar remoendo isso pelo resto da minha vida.
Ela- Obrigada se é que o seu perdão é sincero. Não quero mais perder a ligação com você. Desde que você me deixou, não sou mais feliz. Sonho com você todas as noites como antes. Pra mim é importante ti falar disso.
Eu- Ta bom. Mas onde vc quer chegar? Humm. E o que vc quer que eu faça em relação a isso? Ja te dei o meu perdão.
Ela- É tudo que queria falar pra você. Que você ainda vive em mim. Eu estou doente de saudades de você. Mas entendo se nao quiser saber mais nada de mim. (Ela mandou um áudio dizendo que talvez esse ano poderia vir para o Brasil e que quer me conhecer)
Eu- Olha, não quero ser grossa, mas não quero me encontrar com vc, não quero te ver. Estou muito bem com a minha namorada e não quero que isso seja abalado por um fantasma do meu passado.
Ela- Tudo bem. Fantasma. Hum ok. Posso ligar pra você? Me liga quando puder.
Eu- Estou ocupada agora.
Ela- Tá. Ainda vai me ligar?
Eu- Minha namorada está aqui em casa. Estou ocupada.
Ela- Está bem! Tranquila, eu super entendo. Sem problema.
Dois dias depois
Ela- Mulher, preciso ti ouvir. Você se esqueceu que sou amor da sua vida? Nem essa garota, nem o tempo vai mudar os meus sentimentos por ti.
Eu- Não é mais. Vc perdeu esse posto quando me tratou daquela forma, vc perdeu toda e qualquer chance de voltar a ter algo comigo quando me tratou assim. Deixei isso bem claro
Ela- Eu não perdi nada amor. Apenas eu era imatura e precisava me organizar e entender o que realmente queria. Eu quero ti amar como nunca. Não me negue.
Eu- Não Me Chama De Amor Vc perdeu por ser imatura, por se comportar como uma mimada que achava que poderia usar as pessoas e descartar quando não serviam mais.
Ela- Chamo e repito. Amor da minha vida. Por favor ****, Eu nunca descartei você. Você me deixou e sumiu do meu coração que tanto se completava por você. O meu coração e eu, sentimos a sua falta.
Eu- É, vc não me descartou. Só me chamou de doente e disse que eu precisava me tratar. Ahhh disse também que ficou comigo por pena. E como cereja do bolo a sua noiva ainda me chamou de câncer. Vc quer mais?
Ela- Sim, quero você. Eu não estou mais pra perder tempo sendo que a minha felicidade é ao teu lado. Me deixe conhecer o mundo de mãos dadas com você por favor😔
Eu- Isso vc nunca mais vai ter. Olha, não quero entrar nessa discussão de novo. É melhor cada uma seguir o seu caminho, eu não sinto mais o mesmo por vc. Sinto muito por isso, mas é a vdd. Eu não amo mais vc, Cals. Encontre alguém que ame vc, que queira ficar com vc e nunca magoe essa pessoa, nunca faça ela sentir o que eu senti quando vc falou tudo aquilo.
Ela- O problema é que você nunca me amou, e nunca sentiu nada por mim. Foi daí que tudo acabou. E se estou aqui, não é porque não deu certo com a **** É por amor puro mesmo.
Eu- Por favor, não me mande mais mensagens. Não quero ter que bloquear vc, se caso vc venha mesmo para o Brasil, não me procure. (Mande um áudio pra ela dizendo que não amo mais ela, que estou feliz com a minha namorada e que não quero mais ela na minha vida)
/Nota: coloca uma música triste/
Ela- Não me fale de amor se bem que não tas mais disposta em me dar. O amor que carrego no peito, não é algo simples entendeu? Você sabe e sempre soube que és a minha pessoa preferida. Ai como queria poder dizer o quanto eu te amo sem usar apenas palavras. Só que algum dia eu dê esse amor alguém que não o merece tanto quanto você. Mas eu não quero mais ninguem a não ser você.. E saiba que está me traindo com outra. Ó meu Deus, que dor💔😔
Eu- Te traindo? É sério isso?
Ela- Serio. E eu aqui morrendo de amor por ti e me fala de outra Sim, você com outra.
Eu- Vc diz tudo aquilo, parte o meu coração, destrói o que restava da minha auto estima e tem a coragem de dizer que eu te trai?
Ela- Você está me traindo com outra. Meu Deus do ceu. Mulher, como pode?
Eu- Olha... eu não te trai E nós não temos mais nada. N A D A Então, só para com isso. Eu sabia que vc não queria só o meu perdão, sabia que de alguma forma ia quer que a gente voltasse (Aqui eu já sabia que daria uma boa história)
Ela- Eu não ti quero distante de mim ok? Bloquear um amor, não é uma opção sábia O que você sente me ferindo? Eu não ti desejo felicidades com outra pessoa porque eu quero você.. Você é minha mulher. Volta pra gente Porque sabe o quanto te amo e ti quero comigo. É demais como fiquei implorando pelo o seu Amor.. Não irei ti forçar, não irei mais insistir na gente. Que seja o que Deus quiser. Não serei a primeira na vida. Isso acontece🙏
Eu- Assim como eu implorei o seu.
Ela- De tudo que você falou pra mim, e de como falou, revela que não me perdoou. Quem perdoa esquece, e não volta remexendo o mesmo. (Realmente, só falei aquilo pra ela não encher mais o saco)
Ela- Não largue nada da sua vida. Definitivamente quem vai embora sou eu. Não sei mendigar ou implorar por amor. Por tanto, pra ti fazer acreditar que também mudei e sou decidida, irei sumir de vez. Ti juro que não irá mais saber de mim. Que o meu sumisso seja motivo de felecidade eterna em sua vida.
Eu- Olha, essa conversa ja durou tempo demais. Tempo esse que eu poderia está conversando com a minha namorada ou fazendo algo melhor que revirar o passado. Eu não te desejo mal, Cals. Só desejo o melhor pra vc, que vc encontre alguém que te ame. Certo, então é isso Vc vai seguir a sua vida e eu vou seguir a minha. É uma pena tudo ter acontecido dessa maneira, mas não dá pra mudar o passado. Realmente te desejo o melhor e que vc fique bem, que encontre quem te ame de verdade pelo o que vc é e não pelo o que vc tem
(Depois ela rearfirmou que iria sumir da minha vida e tudo mais... e no outro dia mandou um oi, ai levou block. Minha paciência acabou)
submitted by LiviLuthorDanvers to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.18 08:30 rafaspbarbie A AMANTE.

Oi genty, povo tudo vocês, Lubisco, gatitas, editores, turma, galero, convidado não por que né QUARENTENA, mds to nervouser. Essa história é a história de como eu virei a amante de um cara. Como é uma história anônima, vou mudar os nomes tudo. Se preparem pois ela é looooonga
Bom, em meados de 2016, tinha voltado a estudar na Tijolinhos (nome fictício de uma escola particular em Brotas-SP) depois de repetir de ano e tal. Lá conheci a Joséfa, que virou minha melhor amiga pra vida (ou não, né?), e desse rolê todo boa parte foi culpa dela (TÔ DE OLHO JOSÉFA). Um lindo dia na escola, tava eu lá, com vontade de fazer pipi, ou só me olhar no espelho pra ver o quão bonitona eu tava, e quando tava descendo eu vi ELE, Pablo, na sua escadinha de técnico de Wi-Fi, skksksksksks ele era lindimais (bom, eu achava né) e daí eu passei por ele, trocamos olhares bem calientes, mas ficou por isso.
Logo de noite ele me adicionou no SNAP, sim, snapchat. E trocamos muita ideia, ele era muito inteligente e a gente combinava em muitos aspectos, tava xonadinha. Depois de uns dias conversando com ele, o mesmo apareceu na escola de novo, E DAÍ QUE COMEÇA A MERDA. Estava sentada com Joséfa e comentei:
Na hora eu mandei mensagem pra ele falando um monte de coisa, que era um absurdo ele namorar e falar comigo daquela forma, insinuando coisas, falando pra gente ficar e tal e que eu seria só amiga dele a partir daquilo, AHAM.
Daí entra a parte importante da Joséfa na história. A doida nada mais nada menos me chamou pra fazer vôlei com ela, e eu fui, tinha dois horários, o das kids e dos adultos, íamos nos dois. Fomos no primeiro horário, e partimos pro segundo logo em seguida. Então tava eu lá, linda e plena mexendo no celular e daí a anta da Joséfa começa a dar risada olhando pra longe, eis que me vem à imagem de quem? PABLO. Ela já sabia que ele fazia vôlei, acho que ela queria ver o circo pegar fogo, MESMO. Ele me cumprimentou todo sem graça, mas sempre trocando olhares comigo do tipo "te quero" e eu me segurando pra não pular nele ali mesmo. A gente continuou conversando normalmente, mas havia um flerte sim, mesmo que muito inocente.
Mais pra frente, decidi chamar ele pra conversar, falar pra ele que eu estava gostando dele de verdade, combinamos de conversar depois do vôlei e ele me daria uma carona até a casa dele. A conversa foi basicamente os dois se olhando na maior vontade, eu falando que gosto dele, ele retribuindo, mas também falei que não faria nada em respeito a namorada, AHAM². Durante a conversa teve troca de carícias, muitos abraços, carinhos e olhos nos olhos. Quando íamos pro estacionamento pegar a moto dele, ele me levou para um canto escuro e tentou me beijar, mas dei um abraço porquê não tava me dando por vencida. Quando subimos na moto, ele me disse que ia passar na casa dele pra pegar o carro pois seria mais confortável pros dois (o que ia ser mais confortável hein, Sr. Pablo?!), mas que não era pra me preocupar pois não teria ninguém em casa... MAS TINHA! A família toda dele tava lá, mãe, padrasto, irmãos.. entrei lá com a maior vergonha, ainda tive que ouvir do irmão "quem é essa menina estranha?" Fui pro QUARTO dele, sentei lá na cama e fiquei um tempo ali absorvendo tudo, enquanto ouvia ele falando com a mãe sobre mim, "apenas uma amiga"... sei (foi exatamente o que a mãe dele disse, não tínhamos muita credibilidade). Fomos pra minha casa e ele tentou me beijar de novo, mas não rolou, ainda achava que não daria o gostinho pra ele.
Continuamos conversando e tendo uma relação bem inocente, e era muito bom, confesso. A gente ainda ia no vôlei, ele me dava caronas, era bem discreto e bom, como aqueles romances dos anos 50 que não havia nem beijo, o sentimento se mostrava em outras demonstrações, no carinho, no toque, nas conversas, nos olhares e era bem assim, me vendo por fora da cena, veria uma garota com cabelos aos ventos sorrindo na garupa de uma moto abraçada em um cara que a fizesse sentir o amor, o vento, borboletas no estômago uma primeira vez.
Eu, Joséfa e Pablo descobrimos que teria uma chuva de meteoros na madrugada de quarta pra quinta, nos animamos muito pra ir, mas no fim iria só eu e ele... era o que eu achava, né? (Só pra constar, não havíamos beijado ainda.) Bom, ele me buscou em casa, fomos pra casa dele buscar cobertores e nisso ele me deu uma camiseta (que eu tenho ate hoje) de unicórnio. Com isso ele me disse que umas pessoas iam junto, fiquei meio assim, mas se não tinha problema pra ele, por que teria pra mim? Só que essas pessoas eram o que? A FAMÍLIA DELE. Primos, tios, tia avó (que aliás, gostou muito de mim) muitos deles achavam que eu era a namorada dele mesmo, pois estávamos muito próximos já. Durante a chuva eu só conseguia olhar pra ele, muitas das vezes ele me fazia olhar pras estrelas (não é atoa que eu o chamo de "Sr. das estrelas"), esperando algum meteoro cair, mas eu não vi nenhum. Enquanto estávamos lá, com a família dele, a gente se acariciava, ele me dava selinhos e eu juro que podia ser só isso pro resto dos meus dias com ele, pra mim estava perfeito. Fomos embora, levamos um dos tios dele pra casa, nisso ele me pergunta se eu queria ir embora já, obviamente disse que não.
Fomos para uma parte onde dava pra olhar bem as estrelas, mas naquele dia eu tava cansada de olhar pra elas. Nós paramos o carro e, naquele momento tudo parecia em câmera lenta, de olhar um para o outro, como tirar o cinto e até na hora do (finalmente) beijo. Sim, naquele momento eu virei A Amante. O beijo foi incrível, tudo se encaixou, foi o melhor beijo da minha vida até hoje, tínhamos química, minha pele se arrepiava só dele me tocar, era tudo como um conto de fadas, só que sem a parte do príncipe encantado.
Eu vivia com ele, vivia na casa dele, assistimos vários filmes, passamos por lugares incríveis, daqueles que faziam a gente suspirar e não querer parar de olhar. Cada vez mais eu me apaixonava, ele me fez sentir coisas que eu nunca senti, me fez ver coisas que eu nunca vi, me fez me maravilhar com as coisas simples, como estrelas. Mas eu sempre ouvia dele que ele sempre era o coitado, de como a Jurema (a tal da namorada) era ruim com ele, das vezes que ela traiu ele, das vezes que ela o tratou mal, mas mal sabia Jurema o que ele fazia também, mal sabia ela o quanto eu me sentia mal por isso. Sempre coloquei na minha cabeça que não tinha motivos para trair, mas que eu me conformei com a situação, achei que, dessa vez, tava tudo bem, até porquê eu tinha ele, né?
Como o tempo, tudo se passava, ele me fazia promessas, me prometia terminar com Jurema, que seríamos felizes, ja estava enjoada de ser rotulada como A Amante, não só por mim, mas por ele, por Joséfa também (que passou vários momentos de vela entre eu e Pablo). Numa dessas fui até na casa da avó dele, joguei truco com sua família, beijei ele na frente deles, (um deles lembra de mim até hoje, fala comigo como se eu fosse a ex oficial dele kkkk). Numa outra saímos com um dos seus amigos, nesse dia descobri que a nossa música era aquela lá, a tal da Cataflor do Tiago Iorc, aquela que toda vez que ouço lembro do dia em que eu ouvi pela primeira vez. Esse tal dia estávamos eu e Pablo em sua casa quando ele recebe uma ligação do seu amigo falando que ele queria vê-lo, Pablo falou que estava com uma "amiga" e esse amigo, o Gerson, disse que tudo bem eu ir junto. Entramos no carro, cumprimentei ele, e logo ligamos o som do carro ouvindo Tiago Iorc num tom bem doce, todos cantando e, no momento que esta começou a tocar, ele segurou a minha mão e disse:
-Ok.
Nisso começa a letra, não era atoa que eu me apaixonei, um cara que disse que me daria todas as flores no mundo mas que nenhuma delas chegava a ter a beleza que eu tinha, que a natureza tentou imitar 'tamanha' beleza mas que falhou, pois não tinha como ter algo tão bonito quanto. Como eu não me apaixonaria? Eu também não sei responder essa.
Logo após um tempo, comecei a cobrar o término dele e ele sempre me dizia que era muito difícil, pois era um relacionamento muito longo (3 anos). Pois bem, um mês depois disso ele terminou, viajou pra cidade dos primos dele, foi em várias festas, beijou várias meninas e depois que voltou, me buscou em casa, fomos pra um dos "nossos" lugares, ele sentou comigo e me contou tudo, das meninas, de quem ele teria ficado, como que ele estava amando ser solteiro e tudo mais. A ficha não tinha caído, ele realmente estava solteiro, não devia mais nada à ex, mas ao mesmo tempo parecia que ele não devia nada à mim também, que o cara que falava aquelas coisas, me fazia sentir aquelas coisas e falava que era apaixonado por mim havia sumido junto com o término dele. E. ISSO. DOEU. MUITO. Ficamos naquele dia, mas eu fiquei extremamente desconfortável, cheguei em casa e chorei por horas, do tipo "será que aquele cara nunca existiu?". Nos afastamos cada vez mais, e cada dia que passava a única oportunidade de ver ele, eu não via.
Teve uma festa, a Semáforo, foram todos meus amigos, me diverti pra caralho, dancei por bosta e por fim, ele estava lá, fiquei com ele várias vezes, fiquei com a Joséfa também (pela primeira vez), demos um beijo triplo, ficamos por maior tempão juntos, até subi no colo dele quando ele tava deitado no sofá kkkk, hoje em dia isso é de boas, mas na época muita gente me julgou. Depois disso nos afastamos de vez.
Umas semanas depois, estava na aula de artes, (na qual a professora era madrasta do Pablo) quando a professora diz:
Olhei pra Joséfa na hora e fiquei muda, aquilo partiu mais ainda meu coraçãozinho. Mas o que não era pra ser, não ia ser, não é?
Bom, gente, essa foi a minha história. O Pablo continua com a Múmia, mas não adianta ter uma aliança no dedo DE NOVO, e ainda olhar pra mim com a mesma cara de apaixonado de antes, vir me seguir nas redes e ainda dar em cima de mim, TÁ PABLO??? VÊ SE APRENDE A RESPEITAR A SUA MULHER, BEIJOS.
Um beijo no core de vocês, espero que tenham gostado, xau.
submitted by rafaspbarbie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.13 04:14 Furao_do_mato Triste pelo amor romântico

Não sei como descrever, nem se quero descrever, mas um parente meu está em processo de separação esses dias. É triste pensar que algo que eu considerava sólido e bem estruturado está se esvaindo bem diante de meus olhos e nem sei o motivo, parece tudo tão passageiro e inconstante. E, como se a situação já não estivesse complicada, meu pai ficou falando na frente da minha mãe sobre como esse relacionamento de anos ainda tinha durado era muito, pois "de mil casamentos de hoje em dia 1 ou 2 dá certo por mais de 10 anos" (nem preciso escrever o constrangimento da minha mãe vendo um parente se separar de forma súbita e ainda ter que aturar esses comentários) e meu irmão ainda endossou isso dizendo que preferia namorar do que casar; meu pai naturalmente ainda teve a ousadia de dizer que viver sem mulher não dava muito certo mesmo, mas casamento não era essas coisas (deu uma vontade grande de sair do armário nessas horas e dizer: 'Assexuais existem e seu filho, além de ser um deles, ainda pode ser arromântico').
Nesse contexto, minha cabeça ficou muito bagunçada, pensando se valia a pena ainda namorar em um mundo desses em que as relações são tão supérfluas e vou ter dificuldade de me envolver romanticamente, pois, mesmo que eu encontre alguém alguém para namorar, casar e ter filhos, isso não quer dizer que tudo vá ser correspondido (ainda mais se eu realmente for incapaz de sentir esse romance na mesma intensa que as outras pessoas); uma hora tudo se desmancha fácil como areia entre os dedos.
Eu nunca me importei em namorar, já que meus estudos para concluir o ensino médio sempre foram mais para mim, mas, quando eu comecei a me aceitar mais e até a gostar da ideia de ter um namorico, senti como eu tivesse imaginado uma utopia e que não haveria alguém com limites similares a mim no mundo.
O amor romântico ainda é real? Eu ainda posso querer casar e ter filhos em um mundo desses, ainda mais considerando minhas especificidades?
submitted by Furao_do_mato to desabafos [link] [comments]


2020.05.24 15:59 _BlueSapphire 2 ebooks da Jude Deveraux

Alguém para Amar
SINOPSE: Jace Montgomery é um homem só. Passaram-se três anos, mas não conseguiu ainda ultrapassar o misterioso suicídio da sua noiva Stacy. Não voltou a interessar-se por outra mulher desde então e a família continua a culpá-lo pela sua morte. Ao folhear um dos antigos romances de Stacy, Jace descobre uma fotografia de uma casa com uma mensagem codificada. «Nossa, mais uma vez. Juntos para sempre. Até lá». O bilhete datava do dia anterior à morte dela. Obcecado pela necessidade de entender o suicídio de Stacy, Jace procura a propriedade - Priory House, uma enorme fortaleza de tijolo em Margate, Inglaterra - e compra-a. Jace parte para Inglaterra determinado em descobrir finalmente a verdade. Não demora a perceber que a casa está assombrada por um obstinado fantasma, Ann Stuart, com quem se vê obrigado a lidar para resolver o mistério. Ann morreu em circunstâncias idênticas às da sua falecida noiva e ele tem um palpite de que existe uma relação entre ambas. Através das suas investigações e com a ajuda de uma bela jornalista, Jace vê-se forçado a estabelecer a conciliação entre a vida e a morte da noiva. Alguém para amar é uma bela descoberta sobre o tempo e o amor da autoria de uma das romancistas mais acarinhadas pelos leitores de todo o mundo.
CRÍTICAS DE IMPRENSA«Jude Deveraux tem o toque de Midas.» Publishers Weekly
« Deveraux sempre encantou os leitores. Conhece intuitivamente o que cada mulher procura - o seu próprio cavaleiro de armadura reluzente.» Romantic Times Magazine
«Uma narradora fantástica!» Booklist
«Qualquer romance de Deveraux é sempre agradável e consegue prender a atenção dos leitores.» The Advocate
Perfume da Paixão
SINOPSE: Noiva do encantador e sedutor Greg Anders, Sara Shaw mal consegue esperar pelo dia do seu casamento em Edilean, na Virgínia. Mas apenas três semanas antes do dia do casamento, Greg recebe um telefonema durante a noite e sai sem dar qualquer explicação. Dois dias mais tarde, um homem aparece através de um alçapão no soalho da casa de Sara, afirmando que é o irmão da sua melhor amiga e informando-a que se vai mudar para casa dela. Embora Mike Newland esteja realmente a dizer a verdade sobre a sua identidade, a razão que o levou ali tem muito mais que se lhe diga. É um detective que trabalha infiltrado; a sua missão é usar Sara para descobrir o paradeiro de uma mulher — uma das criminosas mais notórias dos Estados Unidos — que, por acaso, é a mãe do homem com quem Sara tenciona casar. Mike acredita que a investigação não será difícil — isto é, caso consiga arranjar maneira de fazer com que uma jovem de «boas famílias» como Sara confie em si. No entanto, Mike não faz a mais pequena ideia do que aquela missão lhe reserva. Esforçouse ao máximo para esconder as suas ligações a Edilean, as quais remontam ao tempo em que a sua avó vivera naquela localidade, em 1941. Mas à medida que Mike e Sara se vão conhecendo, ele não consegue evitar partilhar segredos que nunca tinha partilhado com ninguém. Enquanto trabalham juntos para resolverem os dois mistérios, o amor crescente que desabrocha entre os dois começa a sarar cicatrizes de uma forma que nunca teriam imaginado ser possível.
Link: https://mega.nz/foldejDo2AALC#ZFUS3AX10e6dL-au4b8DOg
submitted by _BlueSapphire to Biblioteca [link] [comments]


2020.05.23 00:06 wolfsuper A Mulher que Correu Atrás do Vento - João Tordo

SINOPSE
Quatro mulheres. Três cidades. Um século. E uma poderosa história de amor e de perda a uni-las.
1892, Baviera. Lisbeth Lorentz, uma professora de piano, apaixona-se por um aluno de treze anos que sofre de autismo. Ao descobrir que ele é um prodígio, instiga-o a compor um concerto durante as aulas e, um dia, sem explicação, fá-lo desaparecer. 1991, Lisboa. Beatriz, uma estudante universitária - que sonha com a mãe falecida -, envolve-se com o autor d'A História do Silêncio, um romance sobre Lisbeth Lorentz. Ao mesmo tempo, enquanto voluntária num abrigo para mendigos, Beatriz conhece Lia, uma adolescente com um passado incógnito e um presente destruído. 1973, Londres. Graça Boyard, portuguesa, dá à luz a primeira e única filha. Fugida de Lisboa para escapar à tirania do pai e à mordaça da ditadura, regressa à capital após a Revolução, tornando-se uma actriz de renome - e abandonando a filha ainda criança. 2015, Lisboa. No consultório de uma terapeuta, Lia Boyard desfia a sua história, dos anos de mendicidade ao momento em que decide procurar a mãe. É aqui que começam a unir-se as pontas da história de quatro mulheres, que atravessam um século e diferentes geografias, unidas por uma força que transcende a própria vida. Um livro a quatro vozes sobre o poder do amor e o vazio da perda, que guarda para o final uma revelação chocante, a reviravolta que faz deste romance de João Tordo uma narrativa magnética. Sobre a trilogia dos lugares sem nome: "Uma escrita mais vibrante, capaz de momentos de grande intensidade expressiva ou de inesperado lirismo."
Link: https://mega.nz/folde21lTFDjJ#2UPHZoxF3PVDFm1d-0rNgg
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.05.18 01:16 TurbulentStrike A Rainha do Sul - Arturo Pérez-Reverte

O romance de Arturo Pérez-Reverte tem como personagem principal uma mulher: Teresa Mendoza. Uma mulher solitária que constrói um império a partir do nada, num mundo implacável inteiramente dominado por homens, o mundo do narcotráfico. Uma história de corrupção, amor e morte que nos revela o que de melhor e de pior existe no ser humano. Teresa vê-se forçada a fugir do México quando o namorado, que trabalhava para um cartel de droga, é assassinado. Este vai ser o momento de viragem da sua vida. Pobre e analfabeta, estava longe de imaginar que acabaria por se converter numa lenda do narcotráfico espanhol. No final, aquela que regressa à sua terra natal para ajustar contas com o passado será uma Teresa muito diferente da que fugiu doze anos antes.
CRÍTICAS DE IMPRENSA "Um romance onde não há bons nem maus, que é, sim, o reflexo de um universo cruel onde matar, morrer, enganar, corromper, trair, subornar e traficar faz parte do quotidiano. Um mundo amoral porque a moralidade é em absoluto impraticável e onde a chave do sucesso reside na falta de esperança. Arturo Pérez-Reverte é actualmente o romancista mais completo da literatura espanhola." in, El País
EPub
submitted by TurbulentStrike to Biblioteca [link] [comments]


2020.05.15 20:39 livrosetal Duas Mulheres, Dois Destinos, de Lesley Pearse

Sinopse
Na primavera de 1935, em Londres, duas jovens observam enquanto a polícia retira o cadáver de um homem de um lago. Elas vêm de mundos completamente diferentes. Ruby é filha de uma prostituta alcoólica e só conhece a pobreza e o abandono. Verity, de boas famílias, vive com todo o conforto que o privilégio garante. Mas, nesse dia, começa entre ambas uma amizade que perdurará ao longo do tempo.
O destino, porém, não tardará a mostrar quão traiçoeiro pode ser: ao passo que Ruby encontra, por fim, um lar onde é amada e acarinhada, Verity sofre revés atrás de revés, e um terrível segredo do passado ameaça destruí-la. A Grã-Bretanha prepara-se para a guerra, a conjuntura é turbulenta. Apesar disso, ambas continuam presentes na vida uma da outra… até ao dia em que uma delas profere as palavras: "Morreste para mim". Num país dilacerado pela guerra, poderá a amizade sobreviver?
Duas Mulheres, Dois Destinos é um romance épico que nos fala de lealdade, amor, e da força dos laços de amizade perante as mais duras adversidades. Como sempre, Lesley Pearse não desilude…
Epub retail
submitted by livrosetal to Biblioteca [link] [comments]


2020.05.10 13:38 livrosetal Oríon, de Mário Cláudio

Sinopse
"Oríon" é o segundo romance de uma trilogia iniciada com "Ursamaior". Não se pense que é o seguimento do romance anterior. Muito pelo contrário. "Oríon" passa-se na floresta tropical de São Tomé e Príncipe, para onde foram deportadas inúmeras crianças judias, no séc. XV. O episódio é pouco conhecido (é referido pelos cronistas Garcia de Resende e Damião de Góis), mas chamou a atenção de Mário Cláudio, que fez dele uma reflexão "sobre as relações entre uma minoria e o poder" (entrevista a Valdemar Cruz, Expresso, 15/03/03). É esse o ponto de contacto com o romance anterior, tal como o facto de se tratar de novo de uma constelação (esta, de grande importância para os judeus), e de os personagens derem de novo 7. Abel é o narrador e o seu "discurso é impregnado pela febre tropical" (mesma entrevista), de que ressalta uma grande carga erótica, uma grande intensidade de vida (" Quem teve a experiência de viver num contexto tropical apercebe-se de que os sentidos funcionam no máximo da sua intensidade. Necessariamente que esses impulsos, que são básicos, tal como a voracidade, que também aparece - porque o estômago e o sexo são o sustentáculo da vida humana - , surgem com muita força." - mesma entrevista).
"Em Oríon, o escritor serve-se do episódio verídico, mas pouco conhecido, da deportação de crianças judias para São Tomé e Príncipe, no séc. XV. São sete menores despejados num meio adverso, todos com nomes bíblicos, num romance que reclama para título o nome de uma constelação de grande importância no universo judaico. De novo, o que encena e questiona é o discurso do poder e as suas relações com uma minoria, neste caso étnica e etária." Valdemar Cruz, Expresso, Actual, 15/03/03
"Mário Cláudio regressa ao universo da infância, faz de Abel um rapaz que é o seu duplo, a sua projecção, e que conta passagens assustadas e ao mesmo tempo lúcidas. Os factos, que não fazem propriamente parte de um romance histórico, são entrelaçados por uma forte carga erótica. Raquel, Débora ou Perpétua são mulheres atraentes, que não escapam à visão febril de um adolescente (...). Num misto de poesia, história e ficção, Oríon é um livro de amores, de justiça (...)" Nuno F. Santos, Primeiro de Janeiro, 16/03/03
Epub retail
submitted by livrosetal to Biblioteca [link] [comments]


2020.05.07 06:46 man-in_the-box REFLEXÃO

Ha algum tempo eu percebi algo em mim.
Criei essa conta ha algumas semanas apenas pra tirar duvidas sobre relacionamentos e sexualidade (literalmente), mas ao observar alguns acontecimentos aqui, acabei tirando algumas conclusoes sobre minhas proprias atitudes. Depois de ler dois posts sobre homens que estavam apostando na conquista daquelas que seriam possiveis mulheres que lhes foram predestinadas, ou entao, muito especiais em suas vidas (em minhas palavras), me vi desejando imensamente que eles pudessem atingir seus objetivos. Mas nao é simplesmente pela solidariedade de um ser humano desejar o bem em prol do outro, parece que esse tipo especifico de situaçao sempre me atrai a curiosidade, acho que isso deriva de eu ter visto nao apenas a mim mesmo, mas amigos meus durante minha vida, sofrendo muito por amor, e creio que a vontade de ver o outro se dando bem é uma consequencia direta de eu mesmo nao ter tido a oportunidade, nao de viver um grande romance, mas sim, de ter vivido um amor reciproco. Quem se der ao luxo de estar lendo isso agora, talvez esteja pensando que eu estou sofrendo por isso, e que “minha hora vai chegar”. Mas nao é esse exatamente o ponto em que estou objetivado a chegar. Ver um casal se unir a partir de um romance reciproco é uma situaçao que me agrada muito - eu que sempre fui uma pessoa completamente desapegada de sentimentos, e que nao me vejo namorando ou sendo casado por toda a vida - mas parece algo genetico, sabemos que a sensaçao esta la, mas nao sabemos de onde vem. Eu mesmo, em 2014, tive aquilo que considerei o mais proximo de uma mulher ter se atraido por mim; ela era amiga do amigo do amigo da irma de um cara que estudava comigo (sim parece ridiculo e sei que muitos vao se enrolar nessa parte), nos conhecemos pelo whats num grupo de jogos/animes (quando eu ainda vivia nesse mundo), e desde o começo ela se mostrou uma pessoa muito receptiva, e fomos desenvolvendo uma pseudoamizade, tinhamos muitos gostos em comum. Eu era um bv jogador de cod, ela, uma garota ja vivida que era fissurada em battlefield. Ate que um dia, ela pediu uma foto minha, mandei uma foto em grupo, e ela disse que havia se apaixonado por mim. Naquela hora eu nao sabia o que fazer, imaturo (ou maduro, como irei propor a seguir) como era, apenas disse à ela que evitassemos algo a mais pra nao estragar nossa amizade (possivelmente eu fui correto, pois se eu começasse a gostar dela, essa historia poderia ter tomado rumos nao tao bons). Com o passar do tempo, a relaçao esfriou, e na virada 2014/15 ja nao nos falavamos mais. Aquilo foi o mais perto que cheguei de um romance, mas neste post quero focar nao em minhas experiencias, e sim, nas minhas açoes perante as experiencias dos outros. Um dos outros objetivos que estabeleci aqui foi de tentar ajudar as pessoas com seus problemas (eu mesmo disse à uma moça que eu tentaria ser um ombro amigo, porque nao custa nada deixar o outro discorrer sobre os proprios sofrimentos), afinal, eu mesmo tenho meus problemas, mas a sensaçao de ver alguem te dizer que conseguiu melhorar, sair daquele marasmo, é bom demais, como se fosse um renascimento, ou o surgimento de bons tempos que viriam. Blaise Pascal (1623 - 1662), dizia que o coraçao possui razoes que a propria razao desconhece, por isso as vezes, pra mim, parece que o desejo por alguem é quase irracional, parece vir de um lugar de onde nao sabemos, ele apenas aparece e nos vemos objetivados a cumpri-lo. Por isso que acredito que esses dois homens que citei aqui, serao bem sucedidos com suas pretendentes.
Basicamente, é isso. Tirei algumas ideias do meu cerebro, joguei nos dedos e apesar de ficar bem desorganizado, esse post serviu apenas como um compartilhamento de algumas das tantas reflexoes que tenho no dia a dia, nao que isso vai mudar a vida de alguem, mas quem sabe um ou outro individuo se identifique.
submitted by man-in_the-box to desabafos [link] [comments]


2020.04.22 18:34 wolfsuper Sapatos Italianos - Henning Mankell

SINOPSE
Henning Mankell afasta-se do género policial a que já nos habituou para refletir neste romance sobre temas como o amor, a perda, a redenção e a autodescoberta. Fredrik Welin passou os últimos doze anos da sua vida numa ilha do Báltico rodeada de gelo, tendo como única companhia o seu cão e a sua gata, e como única visita o carteiro. Um dia, vê uma figura aproximar-se e percebe que nada voltará a ser o mesmo. A pessoa que vem perturbar o seu exílio autoimposto é Harriet, a mulher que ele abandonou sem qualquer explicação há quase quarenta anos. Harriet diz vir obrigá-lo a honrar uma promessa que ele lhe fizera, mas Fredrik está prestes a descobrir que o seu reaparecimento esconde outra surpresa...
Link: https://mega.nz/foldeL4NQ3KaD#4sItRH1we3jhAHCMcpcWvA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.04.20 13:42 livrosetal Uma Promessa para Toda a Vida, de Nicholas Sparks

Sinopse
Para Miles Ryan, o mundo desabou no dia em que a sua mulher morreu. Missy fora o seu primeiro amor, a companheira de todos os momentos, a carinhosa mãe de Jonah, o filho de ambos. Juntos, tinham uma vida de sonho. Mas uma noite Missy saiu para correr e não voltou. Foi atropelada numa rua perto de casa.
As investigações da polícia nada revelaram. Agora, dois anos depois, Miles ainda se culpa por não ter descoberto o autor do crime e Jonah, já com sete anos, vive numa imensa solidão. Mas há uma luz no seu caminho: Sarah, uma nova professora que entende a sua perda e não desiste perante as dificuldades. Ela própria está ainda a recuperar de um divórcio que a feriu de morte. Decidida a ajudar o menino, Sarah reúne-se com Miles. Desse simples encontro nascerá uma paixão verdadeira. Contra todas as expectativas, eles amam e riem de novo. Mas um segredo paira sobre o casal. Um segredo que os obrigará a questionar tudo aquilo em que acreditavam… e a fazer a escolha que mudará as suas vidas para sempre.
Um dos mais ternos e intensos livros de Nicholas Sparks, Uma Promessa para Toda a Vida é uma mensagem de esperança e uma ode de amor à vida. Um romance inesquecível sobre as imperfeições do ser humano, a resistência perante a adversidade e a incomparável alegria que sentimos quando nos entregamos ao amor.
Epub retail
submitted by livrosetal to Biblioteca [link] [comments]


2020.04.17 18:52 wolfsuper Como Água para Chocolate - Laura Esquível

SINOPSE
Como Água Para Chocolate tem marcado gerações de leitores em todo o mundo desde a sua publicação. Romance mágico e intemporal, conta-nos a história das mulheres da família De La Garza.
Tita, a mais nova, está proibida de casar, condenada pela tradição mexicana a cuidar da mãe até ao fim dos seus dias. Mas Tita apaixona-se por Pedro, transformando irremediavelmente a vida de todos. Perante esse amor impossível, Pedro decide casar com Rosaura, a irmã de Tita, pois é a única forma de estar perto da sua amada. E durante vinte e dois anos Tita e Pedro vivem sob o mesmo teto , dominados pela paixão não consumada. Os jovens comunicam e seduzem-se através da comida que Tita prepara com a devoção e a ousadia de uma mulher desesperada. Em volta das suas receitas, une-se a família e também se “cozem” e “temperam” amores e desamores, risos e prantos, e se celebra o triunfo da alegria e da vida sobre a tristeza e a morte. Até ao dia em que a devoção dos amantes é posta à prova e o seu Destino se concretiza por fim.
Através dos amores proibidos de Tita e Pedro, Laura Esquivel retrata o México rural dos princípios do século XX e tece um hino inesquecível ao prazer dos sentidos e à liberdade criativa da mulher.
Link: https://mega.nz/folde7pEAzKSQ#n4I_Y93KnOXfSa5IBg_5HQ
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.04.17 17:23 wolfsuper O Leitor - Bernhard Schlink

SINOPSE
Em 1960, Michael Berg é iniciado no amor por Hanna Schmitz. Ele tem 15 anos, ela 36. Ele é apenas um adolescente. Ela é uma mulher madura, bela, sensual e autoritária. Mas este período de felicidade incerta tem um fim abrupto quando Hanna desaparece subitamente.Só voltarão a encontrar-se anos mais tarde. Michael é estudante de Direito e Hanna está em tribunal, acusada de um crime hediondo. Enquanto a observa, o jovem percebe que, ao recusar defender-se, Hanna pode estar a guardar um segredo que ela considera mais vergonhoso do que o assassínio. Inicia-se então uma reflexão metódica e dolorosa sobre a legitimidade de uma geração, a braços com a vergonha, julgar a geração anterior, responsável por crimes de guerra. Aclamado pelo seu erotismo latente e pelos desafios morais que coloca ao leitor, este prodigioso e perturbante romance sobre os destinos da Alemanha está traduzido em 39 línguas e foi galardoado em 1997 com os prémios Grinzane Cavour, Hans Fallada e Laure Bataillon. Em 1999 venceu o Prémio de Literatura do Die Welt. Foi adaptado ao cinema em 2008 e vencedor do Óscar para melhor atriz, atribuído a Kate Winslet.
Link: https://mega.nz/foldePgtzhTzb#g36B3LvbiHZUknVaasXyAA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.04.09 20:56 wolfsuper Uma Promessa de Amor - Tiago Rebelo

SINOPSE
Lourenço, Luz María e Isabel formam o triângulo amoroso desta história, e são as personagens fulcrais do novo romance de Tiago Rebelo. Lourenço é um jornalista influente e respeitável no meio televisivo nacional. Isabel, um antigo amor que reancendeu em Lourenço a sua chama. Luz María é uma jornalista cubana, de passagem por Portugal em trabalho, mas na verdade em fuga do regime de Fidel, que traz consigo a mãe, recentemente enviuvada, e no ventre o fruto do seu romance com Alex, um músico cubano acomodado ao regime comunista. É durante a sua estadia em Portugal que desenvolve uma grande amizade por Lourenço, que, por sua vez, se encanta com a força e o exotísmo de Luz María, enquanto troca juras de amor eterno com Isabel. Quando o percurso destas três vidas se cruzam, muitas vão ser as questões morais de Lourenço, dividido entre uma promessa de amor jurada a Isabel e a paixão devastadora inspirada por Luz María, mulher misto de coragem, beleza e perdição. A riqueza dos pormenores interage com o enquadramento histórico da narrativa e encontra-se presente no decorrer de todo o romance. Desde a descrição fidelíssima dos ambientes cosmopolitas de Havana – durante a revolução cubana e após a subida de Fidel Castro ao poder - e Lisboa, repletos de imagens vivas, que respiram e agem ao constante movimento e contraste de cor, quase visível, na descrição de tempos – de passagem é também mencionado o trágico acidente que matou a Princesa Diana e o início da Expo’98 - e espaços repletos de figurantes que os enriquecem e que aproximam o universo da narrativa do leitor, conferindo-lhe um carácter mais real. Uma história admirável na riqueza de pormenores, intensa de conteúdo e surpreendente no desfecho, sobre as delicadas linhas que separam a amizade do amor, pela mão de um jovem autor que, com os seus primeiros livros, «Para Ti, Uma Vida Nova» e «Não Vou Chorar O Passado», conquistou a preferência do público leitor.
Link:https://mega.nz/foldeWt01hAyR#QLbRZJbektA1X3w6nGZVNg
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.03.24 02:08 wolfsuper Para lá do inverno - Isabel Allende

SINOPSE
«No meio do inverno, aprendi por fim que havia em mim um verão invencível.» Albert Camus
Isabel Allende parte da célebre frase de Albert Camus para nos apresentar um conjunto de personagens próprios da América contemporânea que se encontram «no mais profundo inverno das suas vidas»: uma mulher chilena, uma jovem imigrante ilegal guatemalteca e um cauteloso professor universitário. Os três sobrevivem a uma terrível tempestade de neve que se abate sobre Nova Iorque e acabam por perceber que para lá do inverno há espaço para o amor e para o verão invencível que a vida nos oferece quando menos se espera. Para lá do inverno é um dos romances mais pessoais da autora: uma obra absolutamente atual que aborda a realidade da migração e a identidade da América de hoje através de personagens que encontram a esperança no amor e nas segundas oportunidades.

Link: https://mega.nz/#F!PtllgKRS!AFB4kOqOgxtekBlBP_i_wA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.03.16 20:34 Upa-upa-puxadote 15 Obras de Camilo Castelo Branco em epub

São 15 epubs. Alguns são romances, outros são peças de teatro.
«A caveira do Mártir» - Publicado em 1876, o romance “A Caveira da Mártir” foi um dos maiores sucessos comerciais da carreira literária de Camilo Castelo Branco, quando ainda era vivo e, tal como muitas das obras camilianas, é baseada em casos reais e históricos. Mas, ao contrário de outros romances, que seguem somente uma história linear, aqui é explorado um entrelaçado de histórias, interligadas pelas acções e domínio da Santa Inquisição na justiça portuguesa e da aplicação da pena capital.
«Mistérios de Lisboa» - Publicado num jornal portuense, em 1853. Enredo: Pedro é um órfão de 14 anos, aluno de um colégio católico. Na sua procura pela identidade dos seus pais vai conhecer a trágica história da vida de ambos. À sua volta, várias histórias, entrelaçadas e interligadas, que atravessam todo o século XIX sobre 40 diferentes personagens: amor, paixão, crime e adultério, onde cada um tem o seu papel no destino dos outros.
«A Queda de Um Anjo - Publicado em 1866, esta história sobre a corrupção moral é uma dos mais célebre romances satíricos de Camilo Castelo Branco e também um dos mais divertidos e cómicos. A temática da história é simples: o poder corrompe; e a ostentação, o adultério e a personalidade de “vira-casacas” são corolários dessa corrupção. Enredo: Calisto Elói, um morgado minhoto provinciano de elevados valores morais é convidado para ser deputado em Lisboa, acabando assim por se deixar corromper pelo luxo e pelo prazer que imperam na capital.
«O Judeu» - Publicado em 1866, a obra “O Judeu” de Camilo Castelo Branco é um romance histórico de homenagem àquele que se tornou na figura representativa dos milhares de judeus portugueses que morreram pela Inquisição entre 1540 e 1794, em Portugal. Enredo: História da vida trágica de António José da Silva, o mais famoso dramaturgo português do seu tempo que acabaria posteriormente por morrer na fogueira às mãos da Inquisição.
«O retrato de Ricardina» - A obra foi escrita em plena guerrilha literária, que opôs os escritores românticos da velha guarda, aos jovens estudantes de Coimbra, que defendiam um novo tipo de literatura na chamada “Questão Coimbrã”. Curiosamente, Camilo escreveu este romance com o intuito de parodiar os movimentos literários do Realismo e do Naturalismo, mas o resultado foi uma obra que faz um fresco da condição da mulher da época, com poucos direito e sem grandes liberdades. Enredo: Bernardo, um jovem humilde, que na infância era pastor e aprendiz de pintor, fica subitamente rico com uma herança que recebe. Após formar-se em Coimbra e voltar à sua terra, na freguesia de Espinho, apaixona-se pela bela Ricardina, filha do Abade da região, um homem poderoso, influente e vingativo que recusa que a filha se relacione com alguém das suas origens. Os dois fogem, sempre perseguidos pelos capangas do pai da rapariga.
«O Morgado de Fafe em Lisboa» - Peça de teatro. Enredo: O Barão e a Baronesa de Caçurrães querem casar a filha, extremamente pretenciosa, com um pretendente rico mas a rapariga não acha nenhum dos pretendentes dignos dela. No entanto quanto mais se descobre sobre a personalidade da mesma, mais se percebe que ela é que não é digna dos pretendentes.
«A Bruxa do Monte Córdova» - Publicada em 1867, esta novela Camiliana tem como pano de fundo a guerra civil que ocorreu entre 1831 e 1834, e opôs os defensores de D. Pedro I e da sua filha D. Maria II, liberais e constitucionalistas, aos defensores de D. Miguel I, os absolutistas e tradicionalistas. Mas a acção principal em si relata-nos uma história de amor trágico que define bem a época conturbada em que se vivia, falando principalmente da falta de carácter dos representantes da igreja, enquanto instituição, que incentivavam o fanatismo e o histerismo religiosos e davam azo a intrigas e convulsões sociais.*
«A Brasileira de Pranzins» - Enredo: Marta de Prazins, chamada de “A brasileira” pois está prometida, pelo pai, a um tio que fez fortuna no Brasil, apesar de ter José Dias como seu apaixonado.
«Amor de Perdição» -A mais popular obra de Camilo Castelo Branco, que lhe conferiu fama, popularidade e que o consagrou como um dos mais relevantes escritores românticos portugueses. Foi escrita, segundo o autor, em apenas 15 dias, no ano de 1861, enquanto esteve preso na cadeia da Relação, na cidade do Porto, por se ter envolvido num escândalo de adultério.
Enredo: Simão Botelho e Teresa de Albuquerque, dois jovens enamorados de famílias rivais da cidade de Viseu do século XIX, mantêm um namoro proibido com consequências trágicas e mortais, não apenas para ambos mas também para aqueles que os rodeiam.
«Amor de Salvação» - Amor de Salvação, obra de Camilo Castelo Branco, publicada em 1863, é uma novela passional, considerada pela crítica uma das obras mais bem acabadas do autor. Enredo: Amor de Salvação conta a história da relação conturbada entre Afonso e Teodora, que tinham sido prometidos um ao outro, desde o momento que nasceram.
«Coração, Cabeça e Coração» - Romance que conta a história de Silvestre da Silva, em três grandes fases da sua vida. Uma primeira em que ele dedica os seus amores e às “coisas do coração”, às quais ele depois diz ser uma “tolice brava”; a uma segunda fase ao “intelecto” e. finalmente a uma terceira em que afirma render-se aos apelos do estômago até morrer.
«Onde está a Felicidade» - Publicado em 1856, o romance Onde Está a Felicidade? é um retrato fiel da sociedade da época, caracterizada pela importância do dinheiro e do estatuto como forma de promoção social. Trata-se de um romance onde impera a crítica à sociedade, representada pelas figuras de Guilherme do Amaral, que simboliza a riqueza, e de Augusta, que personifica a população de parcos recursos. Enredo: A história da busca da felicidade por parte de Guilherme e Augusta. Ambos apaixonam-se e tornam-se amantes, no entanto, Guilherme abandona a jovem, seduzido pela beleza de uma prima sua e Augusta irá perceber que a felicidade não é fácil de encontrar
«A doida do Candal» - Enredo: Quando Simão Peixoto ameaça a sua irmã Lúcia com o convento para que possa ficar com as heranças que por direito são dela, esta pede ajuda ao seu primo Marcos Freire. Com ajuda de José Osório este consegue retirá-la para casa de umas parentes. Furioso, Simão quer vingança, e tanto provoca Marcos que acaba por se bater em duelo com ele, matando-o. Quando a notícia chega a Maria da Nazaré, com quem Marcos tem um filho, esta enlouquece, ficando conhecida como a doida do Candal.
«O Lobisomem» - Peça de Teatro = Enredo: Uma aldeia localizada nas serras de entre Douro e Minho vive assombrada com as aparições de um lobisomem que ronda as imediações da povoação. Entre o medo e o mistério, resta ao povo tentar descobrir a quem dos vizinhos recaiu tamanha maldição.
«A Sereia» - Uma novela de Camilo muito popular no tempo da sua publicação mas que acabou por ser relegada para o esquecimento dentro da vasta lista de obras camilianas. Enredo: A trágica história de Joaquina Eduarda, cantora de palco a quem chamavam “A Sereia”.
submitted by Upa-upa-puxadote to Biblioteca [link] [comments]


2020.03.13 08:56 mateusSvalente Midnightdoor

me chamo mateus S valente, e a um tempo venho escrevendo algo, não achei nenhum lugar para postar, então vou postar aqui, eu não sou bom em português, nenhum pouco, não conheço regras de contos, historias ou romances, eu só quero contar uma historia, conforme eu for pensando mais, eu edito e boto mais.
OBS: todas as musicas que forem citadas, pfv, escute elas na leitura em que são citadas, para sentir os sentimentos que senti enquanto eu escrevia.
Midnightdoor.
Durante a meia noite, aqueles que tem insônia, aqueles que choram, aqueles que sentem medo, escutam um barulho ranger, o barulho de uma porta, mas não veem nada, ela apenas aparece para aqueles que fizeram sua escolha, um deles é claus, ele tem 20 anos, bastante triste com sua vida, mas ele sabe que não devia ser triste ele apenas é triste, tem amigos, tem família boa, um bom emprego, mas aquela noite, enquanto escutava "danse macabre", sua mão balançava uma arma, a qual ele não fazia ideia de como conseguiu, ele apenas começa a dançar e ele pensa... a tristeza não vai embora, acho que eu devo... e antes de completar a frase um ranger bem devagar, faz ele sorrir, achando que veio alguém lhe abraçar, ele fica surdo, mas vê outra porta alem da do seu quarto, e anda própria em direção como se tivesse encontrado um velho amigo.
Outro deles se chama Emanuel, 26 anos, ele, bom ele já tinha problemas, tinha muitas contas, perdeu o emprego, não tem como pagar a faculdade, ele era bastante feliz, ele ainda pode ser feliz, mas aquela situação, 4 dias sem almoçar, sem jantar, 2 dias sem dormir, o aluguel atrasado, mas engraçado, enquanto estava indo pra casa, alguém lhe deu uma pequena garrafa de uma cachaça muito forte, enquanto bebia sentado em sua cama, ele só quer que aquilo acabe, ele vai ate a janela do seu kitnet(termo para quarto alugado), é o quarto andar, tem um barzinho na frente, esta tocando uma musica, a musica ?, "tudo que você podia ser", ele não pensa duas vezes, ele vai se jogar, escuta pequenos sussurros, e a mesma historia se repete, ele olha para trás, e apenas vai andando em direção a porta.
"Preciso me encontrar", tocava em seu carro, seu nome é Elias, 24 anos, sua mulher acabou de morrer, ela tinha uma doença incurável, ele não tinha dinheiro pro tratamento, ele não podia fazer nada, ele apenas ficou sentado todos os dias do lado dela, esperando junto com ela, ele prometeu, que ela não estaria sozinha nem nesse momento, e nem do outro lado, porem quando as maquinas deram o sinal, ele não olhou para ela mais, pois ela não estava mais ali, ele não falou com os médicos, ele correu para o seu carro, e seguiu estrada em alta velocidade, ate chegar em uma estrada deserta, ate que teve que frear bruscamente, pois viu como se alguém tivesse em sua frente, ele saiu do carro, e viu que mais a frente tinha uma porta, e para ele, o amor dele estava do outro lado.(AMO VOCÊ - TIM MAIA)
toda noite uma porta se abre quando alguém toma uma decisão, pode ser a consequência de suas ações, ou apenas outra saída para seus problemas, a verdade é que a porta escolhe você, mas ninguém sabe o que esperar do outro lado.
Os três.
Três jovens de 20 entre 26, em um quarto escuro, Claus pergunta- isso é o outro lado ?. Emanuel responde- eu não sei. Tinha mais alguém no quarto, Elias sente um uma respiração ofegante em sem ombro, o medo não deixa que ele olhe para trás, e então ele escuta, Solitários é meu nome, e então eles olham ao mesmo tempo em direção a voz, e se deparam com um ser de aproximadamente 3 metros de altura, corcunda, quase andando em quatro patas, a pele cinza, e olhos que brilhavam que quase iluminavam o quarto todo, Solitários fala - estou aqui a tanto tempo, e é a primeira vez que a porta me manda alguém, eu estou com fome a muito tempo, mas infelizmente, meu alimento só vem de um de vocês. Solitários aponta para Elias, Solitários fala - o medo, me alimento de medo, de quem tem medo, e a criatura avança em cima de Elias que na mesma hora em um piscar de olhos é puxado por outra porta, sobrando apenas Solitários e os 2 jovens, alguns minutos de silêncio, Solitários grita "VOCÊS ME TORTURAM TANTO, POR QUÊ ?", a criatura cai aos prantos, quando outra porta se abre e puxa Emanuel, sobrando Claus, que pergunta de Solitários como ele parou naquele lugar, Solitários responde, eu era apenas um camponês, uma noite, uma bruxa do vento, me conquistou, deitou comigo e me amaldiçoou, me transformou nisso que eu sou, me fez devorar meus irmãos e meus pais, eu ia me jogar no mar, porem eu entre na porta e estou aqui, Claus começa a sentir seu corpo queimando, ele vê sua pele rasgando, mas ele não sente nada, tudo acontece tão rápido, ele assume uma forma demoníaca, chifres, olhos escuros, pele vermelha, uma aparência mais magra, e pergunta o que está acontecendo ?, Solitários responde - AH NÃO, eles, as vozes me falaram que existe aqueles que roubam a pele dos novos nascidos, alguém roubou sua pele, e fez você assumir a forma de um demônio, agora você não pode vagar pelo mundo dos nascidos da luz, Claus Responde - eu pre..preciso sair daqui, eu... Solitários responde - as vozes falaram que você pode me levar com você, você só precisa beber meu sangue, então apos pensar bastante, claus bebe o sangue, e passa a escutar as vozes também, solitários começa a sumir como areia em ventania,(musica dica london calling) as vozes explicam que Solitários havia se tornado um espectro, e por isso não podia sair do quarto, agora com Claus as vozes podiam chamar a porta, e levar eles ao especifico ladrão de peles, que naquele lugar, era conhecido como O Rei Azul, o destruidor de continentes.
Claus e os 12 guerreiros do Rei Azul.
............................................................
submitted by mateusSvalente to historias_de_terror [link] [comments]


2020.03.04 20:55 wolfsuper Os Enamoramentos - Javier Marías

SINOPSE
Um romance de um dos mais consagrados escritores contemporâneos. Os enamoramentos foi eleito o melhor livro do ano pela imprensa literária espanhola, no mesmo ano em que Javier Marías recebeu o Prémio Literário Europeu, pelo conjunto da sua obra.
Todos os dias, María Dolz toma o pequeno-almoço no mesmo café de Madrid. Entretém-se a observar um casal que cumpre a mesma rotina. Parecem formar o casal perfeito, profundamente enamorado. Até que um dia o casal não aparece no café, o que deixa María com uma estranha sensação de perda. Só mais tarde, quando vê uma fotografia do homem numa página de jornal - deitado no chão, esfaqueado, minutos antes de morrer - descobre que os amantes que tanto gostava de contemplar se chamavam Luisa e Miguel. Quando a mulher volta ao café, alguns dias depois, María aborda-a para lhe apresentar as suas condolências e entra assim numa espiral que a levará a descobrir mais sobre o trágico fim de Miguel. Partindo do mistério em redor da morte de Miguel, Os enamoramentos revela-nos muito mais do que a verdade sobre esse trágico evento. É, acima de tudo, uma investigação metafísica sobre a vida, a morte, o amor e a moralidade. E um fascinante tratado sobre o estado de enamoramento, um estado positivo e redentor que parece justificar quase todas as coisas: acções nobres e desinteressadas, mas também as maiores crueldades.
Sobre Javier Marías: «Haverá na Europa melhor escritor do que Javier Marías?» Independent
«De longe o melhor romancista espanhol da actualidade.» Roberto Bolaño
«Javier Marías é, na minha opinião, um dos melhores escritores europeus contemporâneos.» J. M. Coetzee
«Há anos, disse que Marías é o melhor escritor vivo de Espanha... Desde então, nada me fez mudar de opinião.» Eduardo Mendoza, El País
«Marías tem um talento extraordinário.» The New York Times **

Link: https://mega.nz/#F!LoER3AAD!jMTHNFO2ly48U3finyQOlA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.02.24 21:01 wolfsuper Dança e sonho (Trilogia O teu rosto amanhã II) - Javier Marías

SINOPSE
A obra-prima de Javier Marías, finalmente publicada na íntegra em Portugal. Um dos mais importantes empreendimentos literários do nosso tempo. Um romance grandioso e monumental, em três volumes.
«Oxalá nunca ninguém nos pedisse nada, nem sequer nos perguntasse, nenhum conselho nem favor nem empréstimo, nem sequer o da atenção (...) Oxalá ninguém se abeirasse de nós dizendo: 'Por favor' ou 'Ouve, sabes?', 'Ouve, podias dizer-me?', 'Ouve, quero pedir-te: uma recomendação, uma informação, um parecer, uma mãozinha, dinheiro, uma intercessão ou consolo, uma graça, que guardes este segredo ou que mudes por mim e sejas outro, ou que por mim atraiçoes e mintas ou te cales e assim me salves.'» Assim começa Dança e sonho , o segundo volume de O teu rosto amanhã , o grande empreendimento de Javier Marías enquanto romancista. Nele reencontramos Jaime Deza, espanhol ao serviço de uma sociedade secreta ao serviço do Estado inglês. Jaime tem o dom maldito de adivinhar o que farão as pessoas no futuro, de entrever nos rostos de hoje os rostos de amanhã. Certa noite, numa missão num clube nocturno de Londres, Jaime está incumbido de entreter a mulher de um homem estratégico, cuja confiança a sua sociedade tenta conquistar. Num segundo de distracção, a mulher desaparece nos braços de um misterioso espanhol. Com um drama iminente no seu encalço, será Jaime o responsável por procurar a mulher desaparecida, passando por lugares em que nem um espião deveria entrar. Em Dança e sonho , Javier Marías deslumbra-nos uma vez mais com a sua prosa inquietante e leva-nos a meditar sobre a natureza humana, sobretudo quando confrontada com a violência e o medo. Uma trama inteligentemente urdida, um mistério cirurgicamente manipulado, uma narrativa fascinante que é também um convite a olhar para dentro de nós.
Sobre * O teu rosto amanhã *: «Esta trilogia é um dos grandes romances da nossa época.» Antony Beevor «Uma das obras maiores da literatura contemporânea... É obrigatório abrir este livro.» Ali Smith, The Sunday Telegraph «Assombroso. A força narrativa é torrencial: desde o arranque deslumbrante, que desenha o conflito do narrador e protagonista, aos círculos sucessivos em que se desdobra o romance. É uma obra de ficção que perdura.» Ana Rodríguez Fischer, Babelia Sobre a obra de Javier Marías: «De longe o melhor prosador espanhol contemporâneo. Um enorme escritor.» Roberto Bolaño «Entre os escritores que deveriam receber o Nobel, está Javier Marías.» Orhan Pamuk «Javier Marías é um dos mais importantes escritores vivos.» Claudio Magris «Um dos melhores escritores europeus contemporâneos.» J. M. Coetzee «Utiliza a linguagem como um anatomista usa o bisturi, deixando a nu os mais íntimos segredos do ser humano.» W. G. Sebald «Um escritor de génio.» Charles Baxter «Um escritor profundamente necessário, um cavaleiro andante, divertido, incisivo, cheio de ira e amor.» The Guardian «Para os que amam o romance como forma literária e não apenas como entretenimento, Javier Marías é, sem dúvida, o escritor mais gratificante da actualidade. Ninguém desde Henry James utilizava a frase com tanta eficácia para explorar o funcionamento da psique humana.» New Statesman
Link: https://mega.nz/#F!mtNHzQ5T!cDvzoQ1UvqFTSuA23n-82A
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.02.24 20:57 wolfsuper Febre e Lança (Trilogia O teu rosto amanhã I): - Javier Marías

SINOPSE
A obra-prima de Javier Marías, finalmente publicada na íntegra em Portugal. Um dos mais importantes empreendimentos literários do nosso tempo. Um romance grandioso e monumental, em três volumes. «Uma pessoa nunca devia contar nada», começa por dizer o narrador desta história: Jaime ou Jacobo ou Jacques Deza. E, no entanto, a sua tarefa vai ser precisamente a de contar: contar tudo, até mesmo o que ainda não aconteceu. O protagonista deixa Madrid e regressa a Inglaterra, em cuja Universidade de Oxford tinha leccionado muitos anos antes, o que lhe convém até por razões pessoais, para se afastar da ex-mulher e dos filhos. É aí que reencontra Sir Peter Wheeler, um velho professor reformado «com demasiadas recordações», e descobre pertencer a um reduzido grupo de pessoas que possuem um raro «dom», ou uma maldição: o de ler as consciências e antever o que as pessoas farão no futuro, o de saber quem será leal e quem entrará na trincheira dos traidores, o de ver hoje como serão os rostos de amanhã. É então contratado por um grupo obscuro, associado aos Serviços Secretos britânicos, e será chamado a opinar sobre todo o tipo de pessoas, desde políticos e celebridades a cidadãos comuns. Entre a intimidade do casamento de Deza e as traições mortais da Guerra Civil Espanhola, Javier Marías tece uma história densa e apaixonante, que nada fica a dever aos melhores romances de espionagem. Pelo caminho, como no conjunto da sua obra, tece uma reflexão extraordinária sobre a natureza humana. Até que ponto podemos conhecer realmente os outros? E seremos capazes, nesse intento, de nos salvar da febre e da dor?
Sobre O teu rosto amanhã: «Uma das obras maiores da literatura contemporânea... É obrigatório abrir este livro.» Ali Smith, The Sunday Telegraph «Esta trilogia é um dos grandes romances da nossa época.»Antony Beevor «Assombroso. A força narrativa é torrencial: desde o arranque deslumbrante, que desenha o conflito do narrador e protagonista, aos círculos sucessivos em que se desdobra o romance. É uma obra de ficção que perdura.»Ana Rodríguez Fischer, Babelia Sobre a obra de Javier Marías:«Javier Marías é um dos mais importantes escritores vivos.»Claudio Magris «De longe o melhor prosador espanhol contemporâneo. Um enorme escritor.»Roberto Bolaño «Entre os escritores que deveriam receber o Nobel, está Javier Marías.»Orhan Pamuk «Um dos melhores escritores europeus contemporâneos.»J. M. Coetzee «Utiliza a linguagem como um anatomista usa o bisturí, deixando a nu os mais íntimos segredos do ser humano.»W. G. Sebald «Um escritor de génio.»Charles Baxter «Um escritor profundamente necessário, um cavaleiro andante, divertido, incisivo, cheio de ira e de amor.»The Guardian «Para os que amam o romance como foma literária e não apenas como entretenimento, Javier Marías é, sem dúvida, o escritor mais gratificante da actualidade. Ninguém, desde Henry James, utilizava a frase com tanta eficácia para explorar o funcionamento da psique humana.»New Statesman

Link Febre e Lança (O teu rosto amanhã I): https://mega.nz/#F!n9UAnSrR!WeYgp1FhemLooOHpWFnKnA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


A Única Mulher - Santiago e Francisca fazem amor - YouTube Amor entre mulheres.28.11.11.wmv - YouTube Amor, romance, paixão, amizade, amantes. Lésbicas Amor entre mulheres na vida real. - YouTube Policial salva mulher e se apaixona por ela 💖 HISTÓRIA DE ... Amor entre duas Um Homem branco e uma Mulher negra - YouTube Amor entre mulheres - YouTube

100+ Melhores Ideias de Livros em pdf romance em 2020 ...

  1. A Única Mulher - Santiago e Francisca fazem amor - YouTube
  2. Amor entre mulheres.28.11.11.wmv - YouTube
  3. Amor, romance, paixão, amizade, amantes. Lésbicas
  4. Amor entre mulheres na vida real. - YouTube
  5. Policial salva mulher e se apaixona por ela 💖 HISTÓRIA DE ...
  6. Amor entre duas
  7. Um Homem branco e uma Mulher negra - YouTube
  8. Amor entre mulheres - YouTube

'Um encontro entre um homem branco e uma mulher africana em um trem da noite. Eles se olham. Ele quer, mas não se atreve. Ela então o deixa. Quando o trem pa... 🌸 O pastor e a prostituta ️ História de Amor Cristão - Assista até o final - Duration: ... VANTAGENS DE NAMORAR UMA MULHER! #EntreElasTodoDia - Duration: 10:47. Entre Elas 230,580 views. O mundo é cheio de falsos moralistas, basta... Imagens retiradas da net. Música: amor entre mujeres - linda Cantora: Dalila Mulheres ki se amam #lésbicas. Sigam nossa página LilyS2Jéssica ... Amor, romance, paixão, amizade, amantes. Lésbicas ... Meu Filme amor e paixão - Duration: 4:32. marcos santos 16,214 views. A Única Mulher - Santiago e Francisca fazem amor \ Subscreve: http://bit.ly/1heOZHJ / Trecho da entrevista cedida à SIC para o programa Juntos a tarde, sobre o tema da homossexualidade. Priscila Assumpção (diretora e atriz em Contos de Despedi... Uma história de amor bem diferente das que você já deve ter ouvido falar!! Um policial à paisana resgatou uma mulher e se apaixonou por ela à primeira vista....